sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Troppo


TROPPO MODA


Edição de 20/07/2008

A moda em todos os ângulos

Saber extrair uma idéia ou conceito com apenas um clique é um desafio que foi aceito por um jovem fotógrafo apaixonado pelo que faz e que não pensa em parar

Por Michel Ribera

Fotos GQ Estúdio e Neto Soares

Ter sensibilidade para olhar as coisas e capturar o melhor delas. Este é o trabalho de um bom fotógrafo, afinal, ele deve fazer valer a máxima popular de que 'uma imagem fala mais do que mil palavras'. Agora, imagine o quanto deve ser mais aguçada a sensibilidade de quem lida com editoriais de moda, um segmento tão comum nos nossos dias, mas requer atenção redobrada por ser um dos responsáveis pelas boas vendas.

Pois bem, o olhar de um fotógrafo ligado à moda tem que ir além de mostrar a roupa, deve repassar em apenas uma imagem a idéia central da coleção resultante de longa pesquisa e dedicação do estilista. E foi esse o desafio diário que Neto Soares, de apenas 22 anos, resolveu topar e enfrentar constantemente em sua rotina de trabalho.

Tudo começou quando ele era pequeno e, como toda criança, sentia fascínio em fotografar acontecimentos diários e importantes para a vida familiar, e ver transformados em imagens, momentos únicos.

Com o tempo, aquela curiosidade básica foi aumentando até que, quando ingressou na faculdade de multimídia, já era inevitável fugir do que ele considera uma agradável sina, a fotografia. O fascínio ficou maior ainda quando tomou contato com o trabalho do espanhol Christian Herrera, importante fotógrafo de editoriais de moda conhecido por trabalhar com cores fortes, e capaz de realçar a beleza através do extremo cuidado ao escolher a locação e a intensidade de luz, transformando uma foto em verdadeira obra de arte.

E como todo bom aluno, Neto se dedicou e buscou cada vez mais se aperfeiçoar e não largar mais sua câmera. 'Quando eu comecei a trabalhar com fotografia para editoriais, não tinha o domínio sobre direção de modelos, então, ficava engraçada a relação modelo - fotógrafo. Contudo, foi muito gratificante e pude perceber que não era tão fácil quanto parecia', relembra.

Já que estávamos falando sobre editoriais e o olhar apurado de um fotógrafo, pedimos a ele que fizesse um ensaio especialmente para a Troppo, e você confere o resultado a seguir. 'Os editoriais, na maioria das vezes, mostram conceitos nos quais as peças estão inseridas, como neste onde o vestido que veste a modelo Livia Soares não se destaca sozinho na foto e sim na composição como um todo, assim como nas outras fotos', explica ele , que fala também sobre a importância da conversa e do trabalho do produtor para que tudo aconteça de acordo com o planejado.

No entanto, imprevistos acontecem, mas geralmente são solucionados com idéias criativas. Neto destaca que a falta de opções para locações ainda atrapalham o trabalho. Quando se pensa em algo diferente, a burocracia acaba travando um pouco, mas nada que não seja resolvido e que não dê um gás a mais para a equipe.

Quando perguntado sobre o que a família e os amigos acham dessa profissão, a resposta foi rápida. 'Eles acham que eu faço milagres com uma lente (risos)'. E continua falando que o glamour do mundo da moda, todos gostam, e acabou ‘contaminando’ parte de sua família, uma vez que ele e irmã Lívia já estão envolvidos nesse meio, então acabou ficando 'tudo em casa'.

Mesmo com o apoio da família e dos amigos que o incentivam e até participam de seus trabalhos, alguns entraves ainda persistem, como a falta de entendimento quanto à importância do trabalho deste profissional para o mercado. 'As pessoas devem abrir um pouco mais a cabeça. Algumas marcas de Belém esperam retorno imediato, mas não investem. O processo agrupa resultados a curto, médio e longo prazos. Catálogos, publicidade, editoriais fazem com que as marcas comecem a aparecer e mostrar seus produtos e conceitos. É uma questão de acreditar e fazer', enfatiza.
















3 comentários:

Jorge André Aflalo disse...

duka netinho!
abração e sucesso sempre amigo!

Danilo ignácio disse...

Pô, as duas primeiras fotos ficaram excelentes. Você deixou claro a mensagem a ser transmitida, associando a fisionomia dos rostos dos modelos com a iluminação. Parece muito com o estilo inglês de fotografar, cores frias na composição. Muito bom.

Raphaell disse...
Este comentário foi removido pelo autor.